“Ciência do Amor” (12/06/2020)

Que me desculpe a biologia, mas corações são feitos de chocolate. Se precisarem de provas vejam as paixões que os derretem. Ficam maleáveis, se contorcem, fazem o impossível para agradar. Abandonam o ritmo e dão para vida esse doce sabor ao leite.

Você pode argumentar que chocolate também pode ser amargo, pois então eis outra prova: os corações que encontramos aos pedaços. Que foram partidos como um tablete em um dia frio, lascas que jamais serão recuperadas. Provados e deixados para trás. E mesmo esses com seus gostos exóticos encontram quem os ame, que os transforme em inteiro novamente.

Agora se te resta ainda alguma dúvida, observe os chocólatras, os assumidos e os que se enganam. Por todos lados dispostos a entregar a vida por um instante deste sabor, para ter consigo a memória de ter provado algo tão sublime. Veja os corações mordidos e fisgados por aí, e me diga se o que bate dentro do nosso peito não é puro chocolate, a tradução mais deliciosa do que chamamos de amor.

“Bom dia”

Bom dia todas as coisas que amo
Bom dia natureza
Chuva companheira ou sol carinhoso
Bom dia pro romance que deita ao lado
Bom dia para esse abraço que cabe a alma
Bom dia crença, bom dia fé
Conto muito com vocês
Bom dia meu sorriso
Que não lhe falte alegria
Bom dia paz no coração
Bom dia poesia e inspiração
Bom dia amigos irmãos
Bom dia chá quentinho
Bom dia peludinha ronronante
Bom dia esperança
Obrigado por não desistir
Bom dia canção
Bom dia procrastinação
Meus jogos e minhas bobagens
Bom dia cidade, dura e bela
Bom dia vida, professora e caminho
Bom dia silêncio
Bom dia palavra
Sigo teu escudeiro
Bom dia lembrança
Bom dia paciência
Bom dia solidão, porque não?
Bom dia cantinho do sofá
Bom dia violão
A gente ainda vai se entender
Bom dia horizonte
Bom dia infinito da mente
Bom dia rima
Vamos tirar esse branco do papel
Bom dia corpo
Bom dia espírito
Bom dia maré
Já é hora de remar?
Um belo de um bom dia
Do meu pedaço mais sincero
Para esse único e maravilhoso mundo

“Em defesa do amor”

No nosso grande coração encontramos lugar para o perdão. Temos boa vontade com a vida e com as pessoas. O que me surpreende é nossa falta de paciência com o amor, principalmente depois que ele chegou tão perto. Os namoros da adolescência são superados eventualmente. Não ligamos tanto para aquelas paixões fulminantes. Só que com o tempo nossos encontros são muito mais sobre a possibilidade do amanhã do que o agora propriamente dito. Queremos a garantia de um futuro, queremos um amor para fazer companhia, para dar suporte, para podermos contar. Nossa experiência anterior deveria já nos dar a ideia de quanto isso exige para encontrar. O amor em nenhum momento demonstra fraqueza e tenta desvendar em outros essa ideia que temos dentro de nós. O amor é tão sagaz e eficiente que acerta de primeira com muitas pessoas, mais do que a gente imagina. Mas não é fácil e erros acontecem. Sim o amor erra. Não que ele não exista, não que ele minta, mas em certos casos o ambiente se torna inabitável para ele. Acontece depois de uma semana. Acontece depois de 15 anos de casamento. O que mostra como ele chegou perto. Quantas histórias duram tanto? Quantos podem dizer que aproveitaram esse tempo de um relacionamento? Mas a verdade é que há poucos argumentos para um coração partido. Para alguém que viveu laços tão profundos, que se entregou tão completamente, ver tudo se desfazer. Eu sei, eu entendo. Mas deixar de acreditar no amor é a resposta? Durante sua vida toda ele te armou tantos encontros, te fez tão feliz, doeu também, mas passou. A dor é a gente que decide levar, o amor está sempre conosco. Ele nunca deixou de tentar, enxergou muitos pares, fez de tudo para te fazer feliz. Se ele acerta somos gratos e quando ele erra o abandonamos? O amor não precisa de uma segunda, ou até mesmo, de todas as chances que pudermos dar a ele? Afinal se ele acertar uma vez, não é tudo que precisamos? Não é curioso que o amor, logo ele, precise de uma defesa? A decepção, a tristeza, fazem parte. Não deixe o amor de fora. O fato é que independente do que sentimos, ou de como encaramos nossos momentos, o amor não vai desistir de nós e eu simplesmente acredito que nós também não deveríamos.

Para vocês sempre saberem que os amo (12/03/2019)

Vai ser um mundo de saudades
Essa terra tem muito canto
Para um coração só

Não consigo encher os olhos de lágrimas
Tenho confiança plena na felicidade
O começo de uma paz

Não falta um centímetro de amor
Aprendi a fazer por você o que fez por mim
Entrega sem pensar em si

Quando a gente olha para trás
É só para certificar o que é de cada um
E o que você deixou em mim já é muito

No fim o que é a distância
Se não uma medida para quem esquece
Não deixaremos de ser esse abraço

Voa como tantos já voaram
Se permita antes que seja tarde
E deixa que eu cuido da saudade

 

“Sublime” (04/02/2019)

No teu cangote esconderijo
Meu medo não é ninguém
Teu cheiro é ar puro
Inflando a esperança
A vontade de querer mais

Teu, é meu único nome
Pertencer-te é completo
Sem o peso da falta
Meu sonho está a salvo
Meu sorriso está livre

Esquece-me a tua sombra
Eu poso de alterego
Faço tudo por essa paz
Envolvido no amor
Dispensar ser eterno

No emaranhado deste abrigo
Prometo não precisar do amanhã
Findar aqui a felicidade
Não acordar longe de ti
Viver e morrer nesse abraço
 

Ass: Danilo Mendonça Martinho

 

“Paladar” (28/08/2018)

Eu me apego a teus detalhes
Seus olhos sorriem
Sua respiração pausada
O mundo é vertigem
Quando estamos tão perto
Você quer sempre mais
A mão se precipita sem encostar
O universo na ponta do seu nariz
Tua pele envolve tuas formas
Como o embrulho de um presente
Então morde teus lábios
Com desejo ou com saudade
A boca enche d’água
Com o fruto fosse novamente proibido
E no último momento de consciência
Vejo teu coração liberto
Daqui em diante é só entrega


Ass: Danilo Mendonça Martinho

Relato de uma dor

Tem momentos do passado que sempre voltam para nossa consciência. Tirando de lado a ideia de arrependimentos ou nostalgias, vejo que são lições que voltam para nós. Aqui, entre muitos aprendizados que tive, acredito ter um que vale para todas áreas da nossa vida e para muitos momentos turbulentos que estamos vivendo. Os dois lados da moeda. Fui magoado muitas vezes, mas só quando magoei compreendi a situação. Acredito que muitas vezes olhamos apenas a nossa perspectiva, as nossas crenças, as nossas verdades, os nossos sentimentos. Mas e o outro? Nossa como é difícil pensar no outro quando este nos prejudica tanto, nos faz doer, ou discordam e refutam nossos princípios. Mas é um exercício que com o tempo nos faz pessoas melhores. Como diz a poesia, algumas vezes uma mágoa, um adeus, se fazem necessários para chegar até a paz, até a compreensão. As lições da vida são as difíceis.
Relato de uma dor” (08/06/2018)
Eu não venho aqui
Lhe tirar nenhuma mágoa
Não é meu direito
Nem venho porque te devo
Falo no mesmo egoísmo
De quando te deixei
Falo pois faltei com a sinceridade
A mesma que defendo em praça pública
Venho pensando apenas em mim
Na paz da minha alma
Na absolvição do meu coração
Outrem era quem reclamava do amor
Tanto que quase ignorei
Quando estava a mercê em minha porta
Mergulhei de cabeça
Cada meu bem, veio do coração
Fui inteiro, fui entregue
E como em todo erro
Fui longe demais
O amor de um não sustenta dois
E terminei o que não podia começar
Arrastei tudo para minha solidão
Fui causa e não consequência
E traí toda minha consciência
Quando fui incapaz da verdade
Se tiver perdão foi em vão
Se tiver silêncio não sobrou nada
Se tiver resposta mereço a dor
Magoar é simplesmente terrível
E pode ser o único caminho para paz


Ass: Danilo Mendonça Martinho

Sobre a Amizade

A gente subestima o poder de um abraço. Damos por garantido certos laços. Hoje em dia a virtualidade nos aproximou da solidão. São tantas conversas e nenhum olhar. São tantas risadas em total silêncio, são tantas fotos e tanta distância. Queria dizer bom dia para todos bons amigos, todos os dias. Mas na verdade gostaria de abraçá-los todos os dias. O toque é cheio de energia, e um abraço pode envolver nossa alma em conforto, em alegria, em segurança, em amor. São tantos os pesos que carregamos nos braços e tanto alívio no abraço que confiamos que as lágrimas nem se aguentam. É um descarrego, é uma comunhão. Um dia espero que minha palavra se faça sentir abraço. Inspire-se!

Abrace” (28/06/2018)
 
Abra os braços
Um sorriso pode acompanhar
Não tenha pressa de chegar
Envolva muito mais que o corpo
Sinta tudo que está em volta
Se encontre naquele cangote
Que te lembra anos atrás
Que tem cheiro de lar
Aperte, agarre
Na mistura de segurança e carinho
Sinta revelar os segredos
Perceba no silêncio a confissão
E também se entregue
Ao choro da saudade
A alegria do encontro
Ao amor que acaba de voltar
E quando mergulhado nos sentimentos
A consciência lhe vier à tona
Lembre de fazer tudo isso
Incondicionalmente

Ass: Danilo Mendonça Martinho

“Nuvens Escuras” (20/10/2017)

A tempestade é um bom sinal
Dá um novo sentido ao que temos
A nau bem construída
O guarda-chuva na mochila
A imperfeição que admitimos

Agora que o medo levanta ondas
Que as dúvidas inundaram certezas
Temos âncora, temos raiz, temos abraço
Em nós encontramos abrigo
No amor que dá sentido

Assoviarão muitos ventos
Vai balançar até enjoar
O plano pode vir a falhar
Mas terminaremos como cúmplices
Jamais deixaremos de tentar

Ass: Danilo Mendonça Martinho

“Perdão” (06/08/2017)

Saiba meu amor que estou perdido quando teus olhos não encontram os meus, cabisbaixo em minhas próprias frustrações. Se tem algo que pode mudar é me dar mais teu colo e teu carinho, o eterno abrigo que protege meus sonhos adiados. Não me imagino possível longe do nosso lar, preciso de alguém que acredita em mim, que me aceita nas imperfeições, que me leva adiante. Estou tão longe de saber ao certo o que quero para minha vida, mas você meu bem, é o caminho. Eu que tanto prezo pelas palavras devo tomar cuidado para não esquecê-las em silêncio ou afiá-las na língua. Não me deixe fazer duvidar, você já é tudo que preciso. O choro é só um reequilíbrio, a vontade de ser melhor. Saiba meu amor que o que mais prezo são esses nós, os que construímos juntos, essa corda que não escapa. Meu começo e meu fim são teus braços.

Ass: Danilo Mendonça Martinho