“Em defesa do amor”

No nosso grande coração encontramos lugar para o perdão. Temos boa vontade com a vida e com as pessoas. O que me surpreende é nossa falta de paciência com o amor, principalmente depois que ele chegou tão perto. Os namoros da adolescência são superados eventualmente. Não ligamos tanto para aquelas paixões fulminantes. Só que com o tempo nossos encontros são muito mais sobre a possibilidade do amanhã do que o agora propriamente dito. Queremos a garantia de um futuro, queremos um amor para fazer companhia, para dar suporte, para podermos contar. Nossa experiência anterior deveria já nos dar a ideia de quanto isso exige para encontrar. O amor em nenhum momento demonstra fraqueza e tenta desvendar em outros essa ideia que temos dentro de nós. O amor é tão sagaz e eficiente que acerta de primeira com muitas pessoas, mais do que a gente imagina. Mas não é fácil e erros acontecem. Sim o amor erra. Não que ele não exista, não que ele minta, mas em certos casos o ambiente se torna inabitável para ele. Acontece depois de uma semana. Acontece depois de 15 anos de casamento. O que mostra como ele chegou perto. Quantas histórias duram tanto? Quantos podem dizer que aproveitaram esse tempo de um relacionamento? Mas a verdade é que há poucos argumentos para um coração partido. Para alguém que viveu laços tão profundos, que se entregou tão completamente, ver tudo se desfazer. Eu sei, eu entendo. Mas deixar de acreditar no amor é a resposta? Durante sua vida toda ele te armou tantos encontros, te fez tão feliz, doeu também, mas passou. A dor é a gente que decide levar, o amor está sempre conosco. Ele nunca deixou de tentar, enxergou muitos pares, fez de tudo para te fazer feliz. Se ele acerta somos gratos e quando ele erra o abandonamos? O amor não precisa de uma segunda, ou até mesmo, de todas as chances que pudermos dar a ele? Afinal se ele acertar uma vez, não é tudo que precisamos? Não é curioso que o amor, logo ele, precise de uma defesa? A decepção, a tristeza, fazem parte. Não deixe o amor de fora. O fato é que independente do que sentimos, ou de como encaramos nossos momentos, o amor não vai desistir de nós e eu simplesmente acredito que nós também não deveríamos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s