“Faça”

A viagem sem volta
O passo diante o abismo
A chance e a consequência

A realidade que supera o sonho
A verdade que desfaz a imaginação
Sem fuga, sem depois

Abraçar a vida, abrir o peito
Ser sem ressalvas
Agir pelo querer

Não há plano que dê certo
Nem amor que floresça
Sem a primeira atitude

A inércia se encarrega do resto
Basta a coragem, o ímpeto
De colocar o mundo em movimento

Faça!

“Controle”

Vida não tem direção
Nem o tempo controle remoto
O dia não segue nenhuma agenda
Nem o amor segue algum roteiro

Não quero causar desespero
Nem desistências antes do final
Só quero evitar frustrações
Ou pedidos de devolução

É preciso abraçar o que a maré traz
Sorrir quando os ventos mudam
Recomeçar quantas vezes for preciso
Não ter pressa de chegar

É preciso encontrar paz e não razão
Ter empatia e não julgamentos
Relevar os teus rancores
Cultivar a alegria

O verdadeiro controle é ser livre
Amar tudo que sente
Fazer tudo que gosta
Ser tudo que é possível
Sonhar com o que ainda não é

“O que me diz respeito”

Se esse destino é meu
Cabe a mim dizer o que lhe cabe
O que terá espaço na alma
O que sempre vai dar tempo
O depois é cruel demais
Para deixar lá coisas que amo

Estar aqui precisa ter significado
Fazer disso algo maior na vida
Que os deveres sejam rotina
Que a poesia e o amor sejam escolhas
Tem importâncias que criam pesos
Tem importâncias que abrem sorrisos
É horas de abraçar o que faz diferença

Não me pergunte para onde
Não me peça por certezas
Estou construindo a estrada
Fazendo do meu jeito
Para que chegar não seja a vitória
Mas todo dia seja

“Qual é a sua?”

Eis que surgem os paradoxos
É preciso um norte
Mas também aceitar a tempestade
Afinal as vezes é perdido que a gente se encontra
Mas você não pode se deixar levar
Deve tomar as rédeas
Remar em direção aos seus sonhos
E entender que a realidade não é sempre como imagina

Então o que a vida me diz?
Que existe um destino
Mas inúmeras circunstâncias vão me desviar
A felicidade virá da onde menos se espera
Ainda assim não deve se entregar
Deve desenhar, moldar e arquitetar o futuro
Para depois vê-lo reconstruído por um amanhã…
Vida, qual é a sua?

É a vida…

A vida é gentil
Não grita, não esperneia
Caminha um passo de cada vez
Te diz sem insultar
Está sempre pronta a aconselhar
Traz sinais, traz pessoas
Não se cansa de avisar
E convenhamos….
A vida te faz feliz
Sem overdoses
Nos momentos certos que ficam
Abraços maternais
Beijos memoráveis
Sonhos realizados
Tudo a seu tempo
Ela espera a gente aprender
Espera crescermos
Tem paciência de Vó
A vida não se preocupa com porquês
Ela sente, ela faz, ela leva
É resposta, caminho
Ela segue em frente
Tão naturalmente como deve ser
Como os rios que deságuam
Sem leis, nem razões
A vida não é fácil?
Mas ela abraça todos teus planos
Te acompanha em todas loucuras
Até decide quando você não consegue
Ela é espelho das nossas escolhas
Faz o possível para se moldar as nossas vontades
Não cria impedimentos
Apenas consequências
A vida suspira, observa, pulsa
Sem jamais nos deixar esquecer
É oportunidade, é chance, é única
Se constrói e se desfaz no tempo
Não se mede, não se pesa
Vive-se enquanto pode
Pois a vida meu amigo, não tem culpa
Apenas fim

Oração do Poeta

Que eu nunca me cale
Que a palavra vença a dor
Que alma grite as verdades

Prometo não fechar os olhos pro mundo
Sentir suas aflições
Revelar seus detalhes
Compartilhar sua realidade

Essa é a minha luta
Ter voz no meio do silêncio
Ter coragem quando há medo
Ter esperança quando se está perdido
Ser quem nunca desiste

Sou poeta
A palavra é minha arma
O verso é meu escudo
E a poesia viverá para sempre

“Imensidão”

Quando falo de alma
Quando falo de vida
Quando falo de amor
Quando falo de força
Quando falo de vazio
Quando falo de futuro
Quando falo de silêncio
Quando falo de paz
Quando falo de sinceridade
Quando falo de abraços
Quando falo de importância
Quando falo de perspectiva
Quando falo de compreensão
Quando falo de responsabilidade
Quando falo de compromisso
Quando falo da verdade
Quando falo do caminho
Eis a natureza
Eis o nosso tamanho
Eis a existência
E toda imensidão

“Memórias improváveis”

O passado veio falar do que não fiz
Veio atiçar as possibilidades
Criar novos enredos e destinos
Fez sentir outros sabores

O passado precisa aprender o que lhe cabe
Entender que sua história está contada
Que a chance não faz parte
E este gosto doce é apenas ilusão

Sem dúvida que seria melhor
Pelo que ele mesmo me ensinou
O passado precisa enxergar que se basta
Se ele mudar, quem serei eu?

“Sobre novos anos” 30/12/2019

Não é sobre esquecer o passado, tentar transformá-lo, brigar, deixar para trás. É sobre deixar cada coisa eu seu lugar. O passado tem o espaço dele, ele fala, ele ensina, ele mostra, só não muda. Temos que aceitar quem ele é, e não carregá-lo para onde não pertence. O passado é poderoso. Ele guarda tudo que nos tornamos, todas as coisas boas, as conquistas, o sorriso. Ele também guarda as coisas que aprendemos que não queremos ser, aquilo que queremos melhorar em nós. É um eterno guia, um manual em construção do que a vida nos ensina. Mas como qualquer livro ou palavra de poeta, ele só instiga e mais nada pode fazer. Agir sempre estará neste agora, nas nossas mãos. Cada coisa em seu lugar. O passado está conosco, o futuro é um norte, e o presente é hoje….e hoje….é sempre ano novo.