Kkkkkkrônicas – A Fila

Narração: Danilo Mendonça Martinho
Sonoplastia: Murillo Arneiro

Você já pegou uma fila hoje? A fila nos persegue. É praticamente uma instituição. No banco, no ônibus, no restaurante, no show. Gostamos tanto de fila que fazemos até com o carro, criamos fila dupla. Das coisas mais banais e cotidianas até as altas cúpulas do governo e tropas em um exército, a fila organiza o mundo. E a fila tem que ser levada a sério. Você já tentou furar uma fila? O salário tá baixo, o país uma corrupção só, mas fura uma fila para ver se o povo não reage. Afinal, tudo tem limite gente! Fico feliz que estamos prontos para lutar pelo que realmente importa. Eu diria que hoje em dia a fila está até virando um ato de fé, pois boa parte das pessoas que entram em uma fila não sabem para que ela serve. Quantas vezes você já perguntou, essa é a fila da bilheteria? E te responderem eu acho que sim, eu espero que sim. Ela espera, esperança. A pessoa está ali, na sua frente, já faz algum tempo, disposta a passar mais tempo ainda, simplesmente por esperança. É bonito até. E sabe o que é pior, aceitamos a resposta e entramos na fila!! Eu viajei para Roma tinha uma fila em um ponto turístico de dar volta no quarteirão, gigante. Passamos todos, fomos na entrada e descobrimos que com o cartão de turistas que compramos podíamos entrar por essa outra fila, quase inexistente. Você tem noção de quantos esperançosos deviam ter naquela fila? Quantas pessoas de coração puro, acreditando que estavam no lugar certo? Começamos a fazer fila onde nem precisa. Você já viu aquelas filas no Enem, no vestibular? Não é por ordem de chegada, eles já definiram sua sala, seu lugar. As pessoas ficam na porta tentando explicar que todo mundo pode entrar junto e ninguém sai da fila. E o medo? No cinema, no teatro, você comprou um ingresso com lugar marcado! Mas ainda sim quer ser o primeiro da fila, ficar 40 minutos a mais em pé, para quê? Meu único alento em relação a fila é que ela não invadiu outras áreas da nossa vida. Pensa por instante se tivesse fila para tudo! Imagina se tivesse uma fila para ser feliz? Eu estava em uma fila para almoçar outro dia e pensei isso. Eu nunca ia ser feliz, a julgar pelo tamanho da fila do Yakissoba.

“Areias do tempo”

Não me tome por ingênua
Minha esperança é fundamentada
Como não confiar na natureza
E na força dessa maré
Que um dia me levará

Não julgue o meu tamanho
Sou tudo que puder sonhar
Sou parte da vida
E já fui parte do mar

Definitivamente não tenha pena
Essa areia não é meu fim
Se você realmente quer chegar
Tem que enfrentar a onda
Entender a importância de acreditar

“Imensidão”

Quando falo de alma
Quando falo de vida
Quando falo de amor
Quando falo de força
Quando falo de vazio
Quando falo de futuro
Quando falo de silêncio
Quando falo de paz
Quando falo de sinceridade
Quando falo de abraços
Quando falo de importância
Quando falo de perspectiva
Quando falo de compreensão
Quando falo de responsabilidade
Quando falo de compromisso
Quando falo da verdade
Quando falo do caminho
Eis a natureza
Eis o nosso tamanho
Eis a existência
E toda imensidão

“Prioridades”

A gente sonha
A gente imagina
E o poeta se perde
Nos véus do horizonte
Criando esperanças
Pintando futuros
Polindo a realidade
…Fuga ou motivação?

O controle da palavra
É um privilégio
Todos queremos certeza
Dar a nossa direção
Vencer, terminar, chegar
Amar, sorrir, abraçar
Arquitetar nossos passos
E seguir até o fim
…ingenuidade ou ilusão?

Os pés no chão
Os olhos no mar
A lágrima no rosto
O peito aberto
O tempo que corre
O abraço eterno
A verdade na língua
O amor no bolso
Na confusão e paradoxos
O que me esqueço…
Nas entrelinhas?

“Memórias improváveis”

O passado veio falar do que não fiz
Veio atiçar as possibilidades
Criar novos enredos e destinos
Fez sentir outros sabores

O passado precisa aprender o que lhe cabe
Entender que sua história está contada
Que a chance não faz parte
E este gosto doce é apenas ilusão

Sem dúvida que seria melhor
Pelo que ele mesmo me ensinou
O passado precisa enxergar que se basta
Se ele mudar, quem serei eu?