“Paladar” (28/08/2018)

Eu me apego a teus detalhes
Seus olhos sorriem
Sua respiração pausada
O mundo é vertigem
Quando estamos tão perto
Você quer sempre mais
A mão se precipita sem encostar
O universo na ponta do seu nariz
Tua pele envolve tuas formas
Como o embrulho de um presente
Então morde teus lábios
Com desejo ou com saudade
A boca enche d’água
Com o fruto fosse novamente proibido
E no último momento de consciência
Vejo teu coração liberto
Daqui em diante é só entrega


Ass: Danilo Mendonça Martinho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s