“Cru” (31/03/2011)

A vida é um quadro que perde a cor
Uma infância que cresce
A inocência que vira dor
Um amor que padece

A vida é uma propriedade sem posse
Um horizonte sem nome
Certezas sem garantias
Uma esperança que morre

A vida é um caminho sem volta
A palavra efêmera
O sentimento que esgota
O sonho que acorda

A vida é
Até te levar isso também

Ass: Danilo Mendonça Martinho

18 comentários em ““Cru” (31/03/2011)

  1. “Sei que todos algum dia acordamos com a senhora desilusão sentada na beira da cama. Mas a gente vai à luta e inventa um novo sonho, uma esperança, mesmo recauchutada: Vale tudo menos chorar tempo demais. Pois sempre há coisas boas para pensar. Algumas se realizam. Crianças sabem disso.”Beijão pra tiBom dia 😉

    Curtir

  2. Faz mais sentido quando parece ter sido pra nós ou por nós.Alguns concordam que o que se faz na vida é procurar significados que dificilmente serão encontrados. Mas isso parece como uma viagem sem volta para o nada, tornando-se não muito inteligente repetir o caminho que muitos trilharam.Só que, o que fazemos sem deixar agir o instinto pelas respostas? Mentes inquietas são irreversíveis.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s