“Essencialmente” (23/08/2010)



Venho através das palavras
Nobres e também banais
Defender algumas utopias
Existente apenas nelas

São versos sem rimas
Nunca aprendi métrica
Mas que fazem mais sentido
Sem os ornamentos usuais

A verdade dispensa eufemismos
São necessárias vísceras
Suavidades passam despercebidas
Precisa-se de tapas na cara

Perdoe-me se lhe pareço simples
Não faço questão do erudito
Seja poesia, prosa, desabafo
Bastam os sentimentos serem reais

Ass: Danilo Mendonça Martinho

Um comentário em ““Essencialmente” (23/08/2010)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s