“Basta-me” (31/08/2010)



É preciso preservar o silêncio
A vocalização é ponto comum
Quero mais do meu olhar
Quero muito mais do teu sorriso
As palavras podem ficar aquém
O que fazer quando se perde o fôlego?
Há uma fotografia de um amanhã
Um abajur repousa na estante
Tua luz incide na cadeira vazia
Na penumbra deita uma rosa
Não é preciso mais nenhum verso
A poesia tomou forma de um abraço
Daqui em diante lhe peço cuidado
Duas almas conversam em silêncio

Ass: Danilo Mendonça Martinho

Um comentário em ““Basta-me” (31/08/2010)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s