“Aprendendo a dizer não” (13/05/2011)

Hoje é um dia triste
Teu colar sumiu do peito
Levou também o brilho do olhar
Tornei-me um fundo preto e branco
Uma presença estática
Esperando ser vencido pela ausência

Minha palavra é um rio que secou
Não podemos mais viver de flores
Se tivesse me negado o amor
Podia evitar arrancá-las pela raiz
Não restou nada entre nós
Somos apenas uma espessa distância

É temeroso não mais te imaginar
É apavorante ter que te calar
Mas o problema maior
É saber que nunca vai parar de doer
Tornou-se impossível outro verso

Ass: Danilo Mendonça Martinho

14 comentários em ““Aprendendo a dizer não” (13/05/2011)

  1. “… mas o problema maior é saber que nunca mais vai parar de doer. Tornou-se impossível outro verso…”Ah, poeta…Faço das suas, as minhas angústias.Quando falta ar no meio do dia… E os olhos, nada podem ver.Um bj e minha sempre admiração.

    Curtir

  2. Parei no verso que ditou sobre ser vencido pela ausência. Penso sobre isso e vejo que somos, ao fim, ausência pura – e o amor é a única ausência de si permitida a nós em vida.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s