“Meio termo” (11/04/2011)

Podemos criar planilhas, fazer uma análise de risco. Podemos buscar opiniões de amigos e desconhecidos. Podemos buscar aprovação, debater com as paredes, ensaiar discursos, fundamentar argumentos. Podemos listar os prós e contras, imaginar futuros, basear-se em experiências passadas. Podemos procurar razões, cálculos, uma garantia. Podemos listar desculpas, motivos, teorias. Podemos tentar justificar nossas escolhas.
Mas nada jamais substituirá o sentimento. Ou se quer ou não. Você conhece todas suas respostas, a emoção vive nos extremos. O sentir pode não ser fácil, mas não fica no meio do caminho.

Ass: Danilo Mendonça Martinho

9 comentários em ““Meio termo” (11/04/2011)

  1. O que fica no meio caminho são as pedras, e Drummond sabe muito bem disso rs..Nossa vida (lê-se: minha vida) não se baseia em termos, meios-termos, muitos menos completos-termos. Ou é ou não é, como dizes. Belo texto, gostei do seu lado prosa. (:

    Curtir

  2. Verdade indiscutível, o que se sente não se nega, não se esconde, é parte indiscutível de nosso ser.E sentimentos não podem ficar no meio do caminho como também não pode haver um meio sentir.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s