“Uma Eternidade” (17/09/2010)

Quero tirar poesia desta calçada
Algumas palavras épicas
Logo seremos passado remoto
Pois um dia perdemos o controle

Não quero um nome na história
Quero um propósito para vida
Guardar em um caderno envelhecido
As essências de um mundo extinto

Sou pretensioso nos sonhos
Seria condenado sem tentar
Perdoe todos meus erros
Preciso de um único clássico

Quem sabe então
Serei as frestas do concreto
O reflexo do Sol nos prédios
A vida e morte de um tempo

Ass: Danilo Mendonça Martinho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s