“Devaneio Existencial” (14/05/2019)

A vida é uma jornada. E por mais que a gente tente fincar nossos pés no chão a alma foi feita para voar. Não tem terra, não tem lugar, não tem abraço que impeça. Somos primitivamente livres. Nossa efemeridade é tão real que faz qualquer deslocamento parecer insignificante. Mas é justamente essa a brecha para experimentarmos. Podemos partir, voltar, mudar, fazer, esquecer, amar. Não há consequências cósmicas para nossa vida. Estamos soltos nesse universo com uma passagem só de ida. Se apegar ao tempo é comparar-se ao infinito. Devemos nos aproximar do que tem fim. Todo resto é mutável, do seu emprego ao quadro pendurado na sala. Nada precisa e nem deve permanecer como está. Somos evolução, parte que mesmo sem querer segue em frente. Quanto mais longe olhamos mais imprevisível é o caminho. Reme ao mesmo tempo que aproveita a maré. Não há nada para você aqui, mas há de tudo em todo lugar. Viver é uma ciência a parte e por isso digo para desconsiderar as distâncias, não medir os anos, não calcular a saudade. O rio segue correndo encostando sem ficar e quando dentro dele somos tudo em todo lugar. A vida é uma força que permeia a todos nós, estar é uma breve conclusão que logo se desfaz. Somos, vivemos e levamos para onde quer que for.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s