“Contra Ponto” (30/09/2010)

Teu reflexo é meu todo
Assim que devo te julgar
Pela transparência da realidade
Bastaria um olhar direto
Seríamos corpos artificiais
Vamos manter as inocências
Puros seremos mais sinceros
Essências isoladas

Eu temo a palavra
Qualquer uma delas
O começo de nossos conceitos
Minutos até destruir o encanto
Satisfaço-me com o mistério
Na impossibilidade do encontro
Enamorar teu reflexo

Ass: Danilo Mendonça Martinho

Um comentário em ““Contra Ponto” (30/09/2010)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s